Wednesday, December 20, 2006

Do calor de Santa Maria


No verão que deixei Santa Maria, no Centro do Rio Grande do Sul, deixei pra trás só o calor. O resto veio comigo. Pelo menos em um aspecto fiquei feliz ao entrar no ônibus com ar condicionado. Olhava triste para o Igor da janela e, além de triste, ele, tadinho, me olhava com calor. O termômetro da rodoviária condenava quarenta graus sufocantes. Para se ter uma idéia, no tórrido dezembro dentro da república, quando os moradores saíam para a aula, eu juntava o ventilador de todo mundo, ao todo três, em cima de mim. Era só sair da rota dos ventinhos que o suadouro recomeçava. Sim, não é só de frio que vivem os gaúchos. E quando me sentia abafada, irritada, prestes a pular da janela e quase rouca de tanto gritar: "Senhor, que calor!", me vinha Manuel Bandeira na cabeça, refrescando (pelo menos) a memória: "Tu reclamava de barriga cheia do calor de Recife, muié".
Brisa

Vamos viver no Nordeste, Anarina.
Deixarei aqui meus amigos, meus livros, minhas riquezas, minha vergonha.
Deixarás aqui tua filha, tua avó, teu marido, teu amante.
Aqui faz muito calor.
No Nordeste faz calor também.
Mas lá tem brisa:Vamos viver de brisa, Anarina.
(Manuel Bandeira)

2 comments:

TATI said...

Oxente! Recife é mesmo arretada!

Venha simbora sentir essa brisa de novo muié!!!!

No momento, chove fortemente por aqui!! (Ontem mais precisamente..hj São Pedro deu uma trégua...) Mas o calor tá mesmo algo anormal!!! Às vezes sonhooo com um chuveiro que jorre água em forma de gelo!!!!! hehehehe!!!!

Love you cara de cu!!!

RECIFE TE ESPERAAAAAAA!!!!

Anonymous said...

Avaliação curta e grossa: bem bom. Tudo.

Mas sua descoberta, na festa, de que não precisava pagar a cerveja, é incomparável...
;)

There was an error in this gadget