Friday, August 18, 2006

De perto ninguém é normal

A Cíntia é uma guria que mora no mesmo apê que eu aqui no Rio Grande do Sul. Esta semana ela começou um estágio no hospital psiquiátrico da universidade. Um dos pacientes, que aliás se encantou por ela, pôs-se a examinar minuciosamente seu rosto, só que de um jeito diferente das outras vezes.
- O que foi? - Perguntou ela
- Por que você tem um brinco no nariz e não tem nas orelhas?
E ainda dizem que o louco é ele...
***
Falando nisso, há uns quatro anos, o filho de uma amiga da minha mãe que à época devia ter uns cinco, fitou curiosamente minha tatuagem nas costas e perguntou:
- O que é isso?
- Um desenho... - respondi
- E por que você não desenhou no papel?
É. As crianças e os loucos também tem razão.

2 comments:

Cristiano Vieira said...

Fala Pati... muita saudade de vc mulher! Como está aí?
Queria te falar duas coisas...
1ª: um amigo leu seu blog e adorou! Tem até uma citação do seu blog no blog dele, depois vc entra lá... (semrotulo.blogspot.com)
2ª: Amei seu texto... inteligente e ingênuo. Sei lá... louco e previsível. Assim como as crianças, os loucos e... EU!!!
Bjobjo pra ti Linda!

Projeto Eutanásia said...

Entrei no seu blogue por acaso. Não me lembro se foi por intermédio do "Para Francisco" ou por outros caminhos. Costumo fazer isso aleatoriamente para descobrir coisas gostosas de se ler. E muitos do seus "posts" são assim. Ainda mais pelo seu gosto por Quintana e Martha Medeiros. Amei este em especial.

Beijos, alegrias e poesias,

Daniel Rubens Prado.

There was an error in this gadget