Monday, May 04, 2009

Da nostalgia



Nos tempos de infância:
Os pais são perfeitos
O futuro é brilhante
O príncipe encantado está a caminho
A escola sempre é recreio
As maiores alegrias são dia de banho livre, piscina de Gravatá, piscina de plástico de tio Agostinho, bolinhas de brigadeiro com granulado de tia Celina
Os maiores problemas são: 
1. os restos das suas bolinhas de brigadeiro de tia Celina nos dentes do irmão mais velho 
2. o tamagoshi que eu não desgrudava nem na hora das refeições, deslizando da mão e se afogando na minha caneca de leite. Ploft! Queria morrer junto com meu bichinho eletrônico asfixiado na minha falta de zelo...

Nos tempos de hoje:
Os pais também têm defeitos
O futuro é distante
O príncipe encantado é criação de Walt Disney
A escola não é garantia de emprego
As maiores alegrias a gente bebe com o copo de cerveja e apaga num cinzeiro
O maior problema é o nosso castelinho de infância, já bambo, perdendo as pilastras, soltando o reboco...

24 comments:

Tchezar said...

É... Por isso que eu penso.. .Se todos conseguíssemos manter um pouquinho do nosso lado criança, o mundo seria mais esperançoso, mais belo, mais simples, logo, mais feliz...
Infelizmente está cada vez mais difícil, visto que crianças estão sendo menos crianças a cada dia... Na minha época, com 12 anos eu brincava de correr na rua, tinha brinquedos... Hoje uma criança de 12 anos pede um pc pra conhecer gente no orkut e pede pra mãe levá-la ao shopping para paquerar...
É... onde vamos parar? Não sei... Cuide-se quem puder e boa sorte para todos... Esperança! Esperança!

Inez said...

Há realmente um grande diferença dos tempos de criança para a vida de adulto, masé sempre bom deixar o nosso lado criança fluir de vez enquando e nunca deixar a esperança morrer.

Rogerio Martins said...

Lembrei da música Pais e Filhos do Legião Urbana. Quando criança nossa visão de mundo é bem mais bonita, simples e ingênua...

Mary said...

Como tudo na vida, crescer tem seu lado bom e seu lado ruim. Mas como crescer é inevitável, melhor se concentrar no lado bom: as alegrias do copo de cerveja, que nunca fica vazio, e as que se apagam no cinzeiro, mas também se acendem novamente..

Belo texto.

beijos!

Laís Dias said...

Eu duvido que eu chegue na parte da bebida ou cinzeiro, mas definitivamente sinto falta da infancia quando tudo que eu queria era assistir a bela e a fera=D
Mas a vida passa, e sabe de uma coisa? Nem sempre é ruim =)
Gostei bastante do seu blog, e a verdade é que to rindo ainda com o nome, rs
fui

habibsarquis said...

Poxa na boa quase tu me fez chorar. Relembrar a infancia, época boa e sem nenhuma preocupação. Eu quero voltar ao passado. Búaaa

Ass:Habib Sarquis - Blog: Cultura Dinâmica

www.culturadinamica.wordpress.com

Mauro said...

até que não é tão mal afogar as mágoas com um vinho barato e um cigarro no cinzeiro... ou, até mesmo, comemorar...

Leandro Cassis said...

Pati alguma vez você já parou pra pensar se essas lembranças de infância, adolescência fazem a gente se sentir melhor ou pior?
Isso é, já reparou que a gente sempre se refere ao passado como sendo mais bonito ou poético do que o presente?

Acho que é o nosso “vicio humano”, a gente passa a vida inteira correndo atrás de coisas que nem mesmo a gente sabe o que é, e dedicamos uma vida inteira a essa corrida, que pode ser por uma casa, um diploma... uma pessoa, ai quando a gente consegue não sabe o que faz, e começa a correr atrás de outras coisas, e não conseguimos ver a casa desabando, que o diploma na verdade é só um papel bonito e a pessoa também pode estar correndo por um outro caminho...

Uma vez bêbado com uma amiga a gente tava falando sobre isso, o “vício humano” a vontade de ser cego mesmo, não entender que o legal é a corrida e não a medalha.

Nat Valarini said...

O que mata mais lentamente: cigarro, bebida ou saudosismo? rs...

A infância era uma época bela, sem preocupações, onde possuíamos o paladar infantil (quando tudo o que era doce parecia ser mais gostoso), sem esse turbilhão da vida adulta moderna.

Os pais nos protegiam do mundo feio e cruel, mas todas as pauladas na nuca já estavam acontecendo na mente dos mais velhos.

Na adolescência, época do desenvolvimento do senso crítico (de algumas poucas pessoas, rs...) começamos a sacar:
- Poxa, meu pai não é tão forte assim, minha mão chora, minha professora tem defeitos!

Tomamos o amargo chá de realidade!

Alguns o usam como eficiente digestivo, outros ficam com o sabor acerbo para o resto da vida.

Adorei a postagem! Kiso!

Roberta said...

Nossa hoje estou exatamente assim, resumindo as alegrias a copos, sentindo os castelinhos demoronarem.. que deprê...

O texto é lindo, mas eu como diziz Cazuza, ando tão down...

Adorei o blog!

JuANiTo said...

Deu vontade de chorar!
Quero ir pra terra do Nunca!
"As maiores alegrias a gente bebe com o copo de cerveja e apaga num cinzeiro"
É vero!

╬ Nothing has sense ╬ Felipesfr said...

verdade...

crianças e filosofos tem algo em comum.. a capacidade de se admirar das coisas...

talvez falte isso para nós..
paradoxalmente o "amadurecer" é algo totalmente anti-simplicidade..

gostei de seu texto..
párabens

sofismo said...

Toda época é bela, na juventude lembramos da infância, na velhice lembramos da juventude.
Cabe a cada um de nós, mantermos pensamentos positivos e ações nobres para nos orgulharmos na próxima época.
Belo post
Sobrando um tempinho, visite meu blog

Rogerio Lima said...

Isso mostra como estamos em constantes mudanças.

Rosangela A. Santos said...

Tem muit verdade em todas essas frases ... infelismente . rsrs

Gostei muito ..

abç.

Uriel said...

Profundo... me lembro da minha infância como se fosse ontem e tenho uma imensa saudade, já me peguei tendo que limpar uma ou duas lagrimas que teimavam em correr enquanto eu me lembrava de algumas coisas :/

Leandro de Souza said...

eu tava com muita saudade desse blog fazia tempo que nao achava ele
seu blog como vc escreve é uma droga feita especialmente para me que me deixa viciado para ler e ler muito mais de tao ponto de me deixa apaixoando por vc sou seu adimirador para sempre e sempre

sobre texto verdade sempre tive medo de perder esse lado alegre de ser criançao para o homem isso demorar acomtecer de vira o tal adulto mas para mulher muito rapido ela para de fazer coisas que antes dava prazer para passa para o mundo deles dos gigantes

Mil beijos e um Cheiro para voce!!

http://teoriadopensador.blogspot.com/

Juliana Rodrigues said...

Que texto fooooda. oO Parabens.
Minha infância já foi assim um dia, tenho saudade do tempo dos sonhos.
Hoje,a realidade dói.Oo mais é isso aí.

Beijos e Parabens pelo blog.

Bê Sant Anna said...

A infância se encontra no cantinho da caneca.
Vale olhar a foto e descobrir na diferença entre você e a menina da foto do que suas escolhas são feitas.

Acho que o próximo texto do meu blog é justamente sobre isso. Sobre as escolhas...

Comece com seu nome. É o mesmo da menina da foto. O quê ele quer te dizer? E o que você quer dizer dele?

Te acho interessante por ver a menina da foto quando olho pra você. Mesmo bebendo alegrias e as apagando num cinzeiro...

Graziela Motta said...

concordo com cada palavrinha... menos com a frase que se refere a cigarro... eu não fumo, beibe. Acho que é porque não saí das fraldas...

Ney Lins said...

"As maiores alegrias a gente bebe com o copo de cerveja e apaga num cinzeiro
O maior problema é o nosso castelinho de infância, já bambo, perdendo as pilastras, soltando o reboco..."

Muito bom, o texto... realidade pura!

Beijos

Anderson Meireles said...

Adorei esse texto...é tudo verdade...
Se tem uma coisa que sou; é nostalgico,
abraço!

Andrei Vinicius said...

Eu vivo aqui sonhando com os meus momentos nostálgicos da vida...

Texto lindíssimo..adorei msm muito bom e bem desenvolvido!

;D

bjS

Adriano Ferreira, CM said...

e no fim da vida, só queremos uma coisa, voltarmos a ser meninos.

como diz o ferando sabino, no epitáfio que propos a si mesmo
"aqui jaz ferando sabino, nasceu homem e morreu menino"

abraço

There was an error in this gadget