Sunday, October 11, 2009

Da conquista




Pode invadir ou chegar com delicadeza, mas não tão devagar que me faça dormir. Não grite comigo, tenho o péssimo hábito de revidar. Toque muito em mim, principalmente nos cabelos e minta sobre minha nocauteante beleza. Tenho vida própria, me faça sentir saudades, conte algumas coisas que me façam rir. Viaje antes de me conhecer, sofra antes de mim. Acredite nas verdades que digo e também nas mentiras, elas serão raras e sempre por uma boa causa. Respeite meu choro, me deixe sozinha, só volte quando eu chamar e não me obedeça sempre que eu também gosto de ser contrariada. Então fique comigo quando eu chorar, combinado? Seja mais forte que eu e menos altruísta! Não se vista tão bem... gosto de camisa para fora da calça, gosto de braços, gosto de pernas e muito de pescoço. Reverenciarei tudo em você que estiver a meu gosto: boca, cabelos e um joelho esfolado, você tem que se esfolar às vezes, mesmo na sua idade. Leia, escolha seus próprios livros, releia-os. Odeie a vida doméstica, mas cozinhe. Aprecie os agitos noturnos. Seja um pouco caseiro e um pouco da vida, não de boate, mas de buteco. Não seja escravo da televisão, nem xiita contra. Nem escravo meu, nem filho meu, nem meu pai. Escolha um papel para você que ainda não tenha sido preenchido e o invente muitas vezes.


Me enlouqueça uma vez por mês mas, me faça uma louca boa, uma louca que ache graça em tudo que rime com louca: loba, boba, rouca, boca ... Goste de música e de sexo. Goste de futebol e discuta comigo se torcemos para times diferentes. Não invente de querer muitos filhos, me carregar para a missa, apresentar sua familia... isso a gente vê depois ... se calhar ... Deixe eu dirigir o seu carro. Quero ver você nervoso, inquieto, (não!) olhe para outras mulheres, tenha amigos e digam muitas bobagens juntos. Não me conte seus segredos ... me faça massagem nas costas. Chore e eleja algumas contravenções. Me rapte! Se nada disso funcionar ... me esqueça... ou experimente me amar!

(Texto de Martha Medeiros levemente alterado para atender às minhas preferências)

11 comments:

Blog do Óbvio said...

Sabina, eu já estava na "UTI das saudades" por causa de você. Acostumei a perseguir seu blog e acompanhei certas decisões que você tomou. Então já me sentí "de casa",rs
Adoro os textos da Martha Medeiros. Esse então começa ameaçando e termina no óbvio, que é o amar.
Como sinto você uma eterna criança (e isso é muito bom), Feliz Dia das Crianças prá você. Beijos perseguidores. Manoel.

Pablo BERNED said...

É bom ver a amiga atualizando o seu blog... Por onde andam os papos virtuais de buteco? Bjo, a gente se vê...

Roberta said...

Sabina a sua adapatação ao texto da mestra me foi mais perfeito ainda!

Achoq ue vou usar também da adaptação!

Saudades!

Beijos.

Professor said...

Encantadora... Envolvente... Essa é você... única!!!

Raphael Nara Pereira said...

Belo texto, hein Sabina...
Bela foto tbm, por combinar com ele num momento seu...
Seria bom que os homens lessem, pq acho que ele transfere o que a maioria das mulheres sentem...
Parabéns
Bjo

Francorebel said...

Muito bom!

oieusouogerao_rps said...

que texto,,,,muito bom...bem reflexivo....parabens...

Sabina Insustentável said...

Manoel, querido perseguidor inveterado. Sempre bom ver seus comentários lá no topo, sempre o primeiro! rsrsrsrsrs
Pablo-amigo-mestre, desde que virei concurseira não tem sobrado mto tempo para boteco algum de qq espécie. Saudações coloradas! ;)
Roberta, Martja sempre diz tudo, né? Nesse caso, como mto subjetivo, tive que mudar umas coisinhas. Fique à vontade para usá-lo ;)
E, "professor"? Novo por aqui? "Boa aula e bons estudos" rsrsrs
A todos, obraigada pelos comentários e voltem sempre!
Um beijo.
Sabina

Francorebel said...

Linda você... abraço!

Fernanda said...

Adorei o post *--*. Lindo

Nina said...

Já era fã de Sabina, agora sou fã de Martha Medeiros tbm!
PERFEITO, descreve bem o que todos nós deixamos ou insistimos em fazer!

There was an error in this gadget