Tuesday, January 05, 2010

Daquela que deixou de enxergar com os olhos





A menina de olhos verdes não queria olhos claros.
A pequena foi para o sol. Estirou-se na areia, de olhos bem abertos. "Acho que assim eles escurecem", pensou.
Desde aquele dia, não enxergou mais. Com a cegueira, os antes "zói" bonito, ficaram meio acizentados.
A partir de então, mesmo que só para si, todos em volta segredavam que ela deixou de ser bonita.
Mas, para ela, o mundo ...
ah!
o mundo começou a ficar lindo.

22 comments:

Annie Farokh said...

Muito booooooooooooom!
Adorei *.*
Nem sempre o que é bonito para os outros, é bonito para nós...
Um super parabéns pelo seu blog e Feliz 2010!

Genilson said...

Uau! Muito lindo esse texto. Achei bem legal mesmo, o que prova o que a Annie disse antes. Belo blog, pelos textos... Dá uma visita: http://genilsonaraujo.wordpress.com

Rafael Filho said...

caramba, texto impressionante.

Realmente é difícil encontrar alguém que não queira possuir olhos claros, mas esse texto aí eu gostei.

abços.

Pasárgada said...

Que sensibilidade em cada palavra! Parabéns, muito bom! A imagem, também, super marcante e expressiva.

Gostei demais do teu blog! :)
Ingrid Brasilino

Izabel said...
This comment has been removed by the author.
Izabel said...

que doce, minha amiga. sim, gostei muito porque é verdadeiro. mas, ainda assim, prefiro os olhos verdes da menina bela. Beijos da sua preta.

Vestibulando said...

Parabéns por esse texto, você demonstrou uma sensibilidade estupenda e tão objetiva.
Adoramos os textos do blog, você tem muita criativadade e saber reproduzir bem uma poesia, textos, com essa sensibilidade que mencionei acima. Você aprocima o leitor e faz com que ele sinta o mesmo que você. Nos encantou com o texto

Parabéns


Visite www.blog.maisestudo.com.br

Abs
MaisEstudo

Thiago Capodeferro said...

Se a gente desse menos importância para o que o mundo acha, com certeza seríamos pessoas melhores e mais felizes com o que somos. O segredo é batalhar para fazer o que você quer, se tornar o que voce quer, não importa o que os outros pensem ou digam.

Belos textos, moça, meus parabéns

Nina said...

Ainda é menina dos "zói bonito", sempre será.
Seus olhos amadureceram, agora, menos frágeis e mais ágeis.
O feio ficou bonitou e o bonito ficou feio!!

. max said...

Meio que tipo nas "7 Faces do Dr Lao"
A visão as vezes é uma prisão sem muros.

Roberta said...

E não é assim mesmo?!
Ver o mundo com os olhos do espírito, só assim pra ver a vida mais bonita...

Beijos, lindo texto!

Raquel said...

Uma pesquisa já revelou que existem mais surdos deprimidos que cegos deprimidos.
É que os cegos podem imaginar...e a imaginação não tem limite. Ainda mais podendo escutar música, pássaros, a voz do(a) amado(a)...
Tava conversando sobre isso hoje com Tio Ronaldo.
Belo texto!
Beijos!

Alan Salgueiro said...

Uma bonita passagem, mostra toda a relativização dos sentimentos.

Anonymous said...

seu blog é uma delicia de se ler adorei mesmo, seu poema é muito bonito, adorei também seu post do desabafo

BLOGdoRUBINHO
www.blogdorubinho.com.br
www.twitter.com/rubenscorreia

Cruela Veneno da Silva said...

é vc na foto?
gamei

Sabina Insustentável said...

São meus olhos na foto.
E são seus olhos no elogio, Ká.
;)

Sabina Insustentável said...

Roberta, captou bem minha ideia ;)

Aos visitante, obrigada por todos os comentários sensíveis.

Beijo.

Sabina Insustentável said...

Não sabia disso, Queleca.
Tentei fazer uma metáfora neste texto sobre como às vezes é difícil ver as discrepâncias, dificuldades e tristezas desse mundo.
captaste, né cara sister?
beijos. ;)

Cruela Veneno da Silva said...

estou te esperando
até twittei sua entrada e nada

eita café demorado.

Sabina Insustentável said...

Entra no msn! Now! já tô no café da manhã...hehehe

Blog do Óbvio - Manoel said...

Sabina, minha querida amiga insustentável. Ainda bem que sobraram os olhos do coração. Só com eles podemos enxergar realmente tudo bonito. Beijos com carinho de perseguidor de blogs. Manoel.

Tijolada said...

Gostei! Tava com saudade desse momento diário de poesia que é o teu blog!

There was an error in this gadget