Thursday, May 20, 2010

Da (in)Justiça




Ontem vi o documentário "Os pecados do meu pai", que trata do filho de Pablo Escobar. Foi revoltante ver imagens de Escobar - já com uma cadeira no congresso (não bastou poder econômico)- afirmando na TV que não tinha envolvimento com o narcotráfico. Tal afirmação foi feita para rebater as denúncias de Lara, outro político colombiano, que tentava combater o mercado crescente de drogas. Por levar à frente a denúncia, Lara foi assassinado pelos homens de Escobar. A cena do filho da vítima chorando no enterro aos 8 anos, faz crescer ainda mais a revolta.

Sentir-se injustiçado é um dos piores sentimentos. Falo isso com conhecimento de causa. Mais injusto ainda é não contar com um sistema eficiente, capaz de penalizar bandido - munido de prova falsa em plena delegacia. Falo isso porque vivenciei. "Melhor conciliar com bandido a levar o processo à frente, minha senhora. A justiça é morosa e desgastante. Preferível encerrar isso aqui", ouvi (pasma) de nossas autoridades.
Ah... falando de bandidagem, nem se fala das fraudes que tenho "engolido" junto com meu choro a cada concurso público que presto. Mas isso é assunto para outro texto.

Bem, o documentário que citei no início deste post foi filmado em 2007. Ele também mostra o encontro dos filhos de alguns homens que Escobar matou com Sebastian, filho do famoso narcotraficante (que não pisava na Colômbia desde 1993, ano da morte do pai). Sebastian pediu perdão. O filho de Lara disse que queria abraçá-lo e apertar-lhe a mão, esperando que isso ajude a Colômbia a ser um país melhor que o da infância deles.

Não é no judiciário que está a minha esperança de ver um mundo melhor. Mas é em gente assim, como o filho de Lara, que repousa meu consolo.

7 comments:

OGROLÂNDIA said...

Interessante. Os filhos não podem pagar pelo erro dos pais. nao tem mais aquele negócio de sangue derramado sobre gerações.
o ideal é findar com a espiral de violência, mas isso acho um caso perdido pelo menos pra nossa geração.

Sabina Insustentável said...

Pois é, Ogro...
A Justiça é cega, as a injustiça a gente vê...

Tô revoltada com o nosso sistema judiciários e as falcatruas desse país.
Volte sempre!

Bjos

Adriano Ferreira, CM said...

fixar-se nos bons exemplos, isso é que falta. vá ver os telejornais e todas as outras mídias de massa, todos focados nas desgraças do mundo como se nada de bom estivesse acontecendo. a verdade é que as falcatruas, os assassinatos a sangue frio e os roubos de carteira, pela maneira que sao apresentados pela mídia, deixaram de ser atitudes barbaras para fazerem parte do cotidiano. bem, o perdão dos ofendidos, a mão estendida ao mais pobre, os pequenos bons gestos do cotidiano, estes nao aparecem, e quando aparecem recebem o tratamento de algo sobrenatural.

abraço, que da nossa revolta surja uma geraÇao de pessoas como Lara.

Sabina Insustentável said...

É isso msm, adriano! belo comentário... Já instigava noblat aos leitors do seu livro a publicarem notícias boas. Notícias como essa, que nos dão esperança, de ver e saber que existe gente boa no mundo, gente como o filho de Lara. Se tiver oportunidade, assista o doc... deve reprisar no discovery.

Um beijo!

CESAR CRUZ said...

Olá, Sabina. Poxa, que verdade triste... Vivemos num mundo de homens vis, duros, implacáveis e cruéis. Gente que tem um coração empedernido, que não se comove com a inocência da criança, com o abandono do velho. É o dinheiro, o maldito dinheiro...

bjs
Cesar

. max said...

JUSTIÇA ???
Nem a divina, minha cara.
Ou eu ainda sou muito burro pra entendê-la.

Cê nem viu o post que fiz pra vc néam???!!?!

Sabina Insustentável said...

Eh isso aí, Max... nem a divina!

Post para mim?? Não vi não... Me manda o link!!! ;)

beijoca!

There was an error in this gadget