Sunday, June 27, 2010

Do cãozinho Pimpinho




Às vezes ele nem tava ao meu lado. Mas eu sabia que estava em algum lugarzinho favorito e tão aconchegante quanto o pé da minha escrivaninha. E não raro eu saía do meu canto para dar uma espiadinha na posição (fofa) que ele devia ter inventado.

Foram 14 anos assim... quando em cômodos diferentes, ao menos sabendo-se lá.

Agora não sei mais onde..

O vazio tá cheio de saudades, anjinho. te amei muito.

12 comments:

Karine said...

Já fez as contas? Foi metade da sua vida com ele. Assim como foi a minha com Baby. Tinha como a saudade ser diferente? Só quem tem/teve cachorro sabe como é essa dor. Mas ele está lá com Baby, fofos como sempre. E acho que o tempo do verbo na última frase merece um ajuste. A dor irá virar passado, o amor continua presente, sempre!

Beijo pra pimpinho e pra tu.

. max said...

ó..... lembrei da minha Tifany.
também viveu 14 anos.

era ótima companhia para assistir filmes comigo.

Graziela Motta said...

como eu ja havia dito, não passei um aano com a minha cocker e quase quis partir com ela. Minha mãe me fez levantar do chão, e nunca mais deixou eu ter um cachorrinho. a culpa é dela, de me dara responsabilidade de cuidar do cachorrinho se eu sequer tomava banho. Quando capturei outro cachorro na rua, ela deu pros vizinhos q iam se mudar pra Caxias. Quando adiquiri uma lagartixa, ela forjou uma fuga da mesma. Minha mãe, ao me proteger da dor, me causou algumas.
hehehe
que história.
amo vc!

Sabina Insustentável said...

oun, gente! obrigada pelas palavras.. ainda nem consigo escrever muito sem chorar..
baba, linda a sua observaçao..
max, ele tava sendo uma otima companhia para os jogos da copa tb..rs
grazi, só vc p me fazer rir!
beijos em vcs...

Tati said...

ow minha furica! Meu afilhadinho, que nem batizei de verdade, vai fazer uma falta danada!

O gordo era mto fofo mesmo, mas ficam as boas recordações...

Será que mainha vai se habilitar a cuidar dele lá no céu? Ela já deve ter dado uns gritos: Pimpo, não faça aquela coisa nas minhas pernas. kkkkkkkkkkkk

Amo tu!!!!!

Bê Sant Anna said...

ele era chato. mas com uma carinha de pidão que era um barato. Pimpo vai mesmo fazer falta.
Bê ijos

Nina said...

Nenémmmmm!!
Quanto tempo não dou uma espiadinha em seu blog... Sei a dor da falta, de um amigo que não fala.
Pimpinho, eu morri de rir do nome dele... Vem da sua memória momentos da infância, com certeza.

Sabina Insustentável said...

chato é tu, Bê! :P

Pois é, ninoca.. eu era fanzona da xuxa à época que ganhei o pimpo! ela tinha um cachorro com esse nome.. tinha até uma musica pra ele no disco 4 dela kkkkk Sem contar a musica q eu amava do Ursinho Pimpão!
Ai que saudades do meu gordinho... :(

Beijosss!

Sabina Insustentável said...

tatizoca,

com certeza tia kiks tá cuidando dele e tb dando uns foras p ele sair da perna dela... kkkkkkkkkkk

aiai.. saudade é fogo!

beijo, prima! te amo!

Hermético Capiongo said...

Sim, tenho saudades.
Sim, acuso-te porque fizeste
o não previsto nas leis da amizade e da natureza
nem nos deixaste sequer o direito de indagar
porque o fizeste, porque te foste.

Drummond

=)

Tijolada said...

Fica minha solidariedade à tua saudade do cãozinho... minha experiência em ter cachorro se resumiu a um mesinho de férias na praia que apareceu um cachorro de rua lá e cuidamos dele... e foi suficiente para eu sentir muito quando fomos embora... imagina passar 14 anos com o cusco... Aliás, adoro esse teu jeito de escrever, lembra-me o Quintana. Abraços.

Marcela Castilho said...

Essa é a parte ruim do convívio com eles...Infelizmente vivem pouco e deixam um buraco monstruoso!!! Mas como acrescentam às nossas vidas, não é?
Eu adoro seu blog!!!
Beijos,

Má:))

There was an error in this gadget