Sunday, May 11, 2008

Do hippie

Voltando do almoço do Dia das Mães com minhas amigas cujas mães também estão em outro estado, deu uma saudadeeee da minha mainha. Imaginei o dia de hoje lá em casa. Café quentinho passado por Quel, bem de manhãzinha. Pão de queijo. Bolo de nozes. Pão fresquinho. Pimpinho ao pé da mesa. Mesa posta apontada para o céu da Savassi. Sorriso de mãe. Pensando nisso, caminhando no calçadão de Santa Maria, olhinhos baixos com o peso de tanta nostalgia, escuto um grito:
- Por favor! Me tirem do Rio Grande!, berrou um hippie sentado em posição de ioga com vários brincos artesanais em volta.
- Quem leu meu pensamento? - pensei olhando em torno.
Fui até ele...
- Má que houve, homi?
-Ah, esse lugar frio! Acho que o frio deixa o coração das pessoas mais frio...
Agradecido por eu ter ido puxar papo, me fez um brinco lindo: um 'bonequin' felizinho saltitando um reggae... e, a partir de agora, dançando na minha orelha direita.
Em casa ele parou de dançar. É que apertei forte o brinquinho, telefone bem junto ao ouvido, escutando com ternura cada palavra sorridente da minha mainha.

4 comments:

Quel said...

"Por favor, tragam minha Pir de volta!!!"
Tomara que alguém leia logo meu pensamento.
Beijocas, Pir!
TE AMO!

Renato Soares said...

que lindo!

quero que você venha embora logo, pro dia nascer mais feliz.

=]

tijolada said...

Gostei! Minha mãe também mora em outro estado e senti muita falta no domingo passado!

PaTi said...

Num é? Então vc sabe bem do que estou falando :(
Bem vindo ao blog, viu?
Volte sempre!
Bjs.

There was an error in this gadget