Friday, December 11, 2009

"A gente se apertou um contra o outro. A gente queria ficar apertado assim porque nos completávamos desse jeito, o corpo de um sendo a metade perdida do corpo do outro. Tão simples. A gente se afastou um pouco, só para ver melhor como eram bonitos nossos corpos nus (...), iluminados pela fosforescência das ondas do mar. Plâncton, ele disse, é um bicho que brilha quando faz amor.
E brilhamos."
.
.
.
(Caio Fernando Abreu - Morangos Mofados)Justificar

7 comments:

. max said...

Olha só a coincidência... é o livro que eu tô lendo atualmente... mais precisamente no capítulo "LUZ E SOMBRA"... é mais pra frente.

Blog do Óbvio - Manoel said...

Sabina, que bacana esse texto. Muito lindo. É uma coisa muito boa de se sentir. Beijos apertados de perseguidor de blogues. Manoel.

Sabina Insustentável said...

ei, max! que coincidencia! Esse trecho realmente me tocou....
Boa leitura e quando terminar o livro, conte-me.

Que bom que gostou, manoel!!!!
Um beijo!

Roberta said...

Simples e tocante.. adorei!

Beijos

Príscila Gama "Tuka" said...

Já quero ler!

Sabina Insustentável said...

Pois é, Roberta! Fiquei muito sensibilizada com essa parte do livro... linda demais né?

E, Priscila! Corre então pra comprar ou encomendar... rs! Tem partes lindas...

Um beijo nas duas.

Izabel said...

ai, ai... lindo...

There was an error in this gadget