Thursday, November 19, 2009

Do ponto final.

Ela teve uma notícia que não esperava (pelo menos nem tão cedo). Logo no dia do seu aniversário, quando coisas ruins costumam acontecer. A maldição de 2008 foi essa. Não que ela ainda pensasse ou tivesse esperanças com ele. Mas não sonhava que ele seria tão fraco a ponto de fazer o que fez. Embora todo mundo a tivesse alertado. Primeiro foi o choque. O susto. E um sonoro: "Não acredito". Nos dois dias seguintes, outras lembranças surgiram e ela foi se sentindo usada e enganada. O peito apertou de um jeito, mas não a ponto de fazê-la chorar para parar de doer. De repente, viu uma menina maltrapilha na rua e explodiu num choro convulsivo. Porque como diz uma amiga dela: "sem lesão não há pranto". Mesmo que a lesão não tenha a ver com o contexto. O choro desceu soluçado e os óculos escuros, ela deixara em casa. E nem insufilm tinha o carro para que ela pudesse desabar descontrolavalmente sem os olhares dos carros vizinhos naquele sinal que jamais abria. Era um choro de redenção, de alívio, libertador e, ao mesmo tempo, de raiva por ouvir (ouvir não, descobrir) e viver (pelo menos depois do fim e de já desapegada dele), o que todo mundo dizia que aconteceria... os tais avisos daquela época em que ela era cega de paixão e acreditava ser a exceção da regra dos casos assim. Isso porque pautava-se não na vida, nem nas palavras dos experientes amigos e da mãe, mas nas palavras dele.
Ela olhou no retrovisor e viu que seu rosto já era indisfarçável. Olhou para o lado meio embaraçada e viu que um moço fazia sinal para que ela abaixasse o vidro. Ela abaixou meio de cabeça baixa para ele não se assustar tanto com seu rosto borrado de rimel. E ele gentilmente perguntou:

- Está tudo bem?
- Vai passar... - ela disse finalmente acreditando

A trilha sonora do caso:

14 comments:

Tatiana said...

Acredito totalmente na filosofia do OMO: NÃO HÁ APRENDIZADOS SEM MANCHAS!
A sua personagem viveu o que todas nós já vivemos um dia... E passa.. passa mesmo!!! ô remedinho baum o danado do tempo, combinado com doses cavalares de maturidade e amor próprio... e voltamos a sentir borboletas no estômago novamente! é a vida!!!
Mais uma vez tá de parabéns pelo conto! Você arrasa a cada post!

Nina said...

Um sofrimento abafado, mas nunca podemos deixar de arriscar.
Cada caso é um caso. Belo conto!

Sabina Insustentável said...

Ahhhhhhhhhhh...eu já dizia no mestrado qdo me perguntavam o que é literatura: "literatura é escrever sem apurar". Tem coisa melhor do que escrever de um jeito que flui, sem tá presa a declarações e a "verdade". Misturar ficção, realidade minha, nossa, suas, outras leituras, intertextualidade e montar um texto mais interessante? Acho que por isso que o povo da Revista Cruzeiro era tão picareta... kkkkkkkkkkkkkkkkk
Salve a literatura e seu viés imaginário. E principalmente a inspiradora Martha Medeiros, claro, que sempre me inspira e me deu a idéia deste episódio do choro no carro.

Beijos em vcs!

bel said...

saudade da gente e de chico...

Graziela Motta said...

olhos nos olhos! eles não sabem o que é isso... é olhos no 'tico' e nada mais!
Sei que estou sendo fiadaputa dizendo isso, mas se não pensar assim como estou dizendo, nem dá pra conseguir superar as palavras bonitinhas que eles disseram, mas que esquecem de avisar o prazo de validade.
Assim como o OMO, essa embalagem deveria nos dar um aviso prévio de quando apodrece o produto!

p.s. desculpa, é um desabafo...

Sabina Insustentável said...

kkkkkkkkkkkkkkkkk
Grazi e os melhores textos!
Otimismo, amiga!

Um beijo!

Cruela Cruel Veneno da Silva said...

e o que diria o Pessoa?

No tempo em que festejavam o dia dos meus anos, Eu era feliz e ninguém estava morto…

é assim mesmo minha nêga... bola pra frente.

"no futuro tudo há de cintilar, mas é por não saber disso ainda que sangramos"

Sabina Insustentável said...

ixiiiii...a bola já tá lançada pra frente há mais tempo! Por agora deve tá lá em Tóquio rolando em algum super moderno gramado japonês. Nada como o desapego para transformar pitadas de passados sofrimentos próprios e coletivos em conto de ficção.

bjo querida pessoa.

Tatiana said...

ow Grazi, será que se soubéssemos a data de validade aprenderíamos tanto? Acho que o APRENDIZADO se dá justamente por essa incerteza de quando vai chegar a hora de chorar no carro, e se ela vai chegar... Prefiro sempre a visão otimista (não, não sou Poliana fazendo o jogo do contente) de que HÁ PESSOAS COM PRAZO DE VALIDADE INFINITO (independentemente do sexo, claro). Engraçado como essa situação desperta sentimentos tão diferentes em cada um de nós né? essa Sabina devia se chamar SAPIÊNCIA :)
beijosssss

Blog do Óbvio - Manoel said...

Sabina, minha amiga insustentável. Não conseguí tirar os olhos do vídeo. Você escreveu bonito mesmo. Escreveu e viveu o escrito. Muito lindo. Parabéns por todo esse talento. Beijos perseguidores. Manoel.

PS: Quando escreví "talento" me lembrei de um caso bobo, mas meio engraçado.
Tenho um amigo super vaidoso e metido. Só ele tem boas opiniões e sabe de tudo. Começamos a trabalhar juntos e logo em seguida o pessoal colocou o apelido nele de "Talento". Ele ficou todo, todo com o apelido. Achava lindo! Aí, ficamos sabendo nos bastidores que o talento era porque sua cadência no trabalho era, de devagar para menos que devagar. Então não era "Talento" e sim "tá lento", kkk!
Coitado. Até hoje ele não sabe e o apelido pegou rapidinho. Que maldade, né??!!
Mais um beijo! Manoel.

Roberta said...

Porque será que tenho a impressão que você contou minha história?! Minha só não.. quem é que nunca se deixou iludir assim pra depois passar pela desilusão e depois de muito rímel borrado, enfim poder dizer " quando você me quiser rever, já vai me encontrar refeita pode crer."

Muito bom!

Sabina Insustentável said...

Manoel, adorei o causo rsrsrsrsrs!
Obrigada pelas palavras sempre incentivadoras.

É isso mesmo , Roberta! Quem nunca passou por isso? E passou, não passou? Passa mesmo...

Um beijo.
Sabina

Fernando Ávila said...

Ei, Paty !!! Quanto tempo ??? Estamos sumidos, né? Aproveito pra deixar o endereço do meu blog: http://cotidianoempilulas.blogspot.com/. Quanto tiver um tempinho, dá uma passada por lá. Já estou seguindo o seu e acompanhando as atualizações. Bjos.

Clube da Luluzinha said...

OI flor.. Tô passando pra avisar que tem selinho pra vc lá no clube da luluzinha thá?!
passa pra pegar ^^
e não esquece da regras..

http://mulheresecharme.blogspot.com/2009/11/gente-ganhei-meu-2-selinho-ganhei-d-o.html#comments

There was an error in this gadget